Opinião

Máquina do Governo irá enquadrar Trump, diz Hauly

A notícia que sacudiu o mundo esta semana foi a surpreendente eleição de Donald Trump para presidente dos Estados Unidos.  Até o dia da eleição, na terça-feira, praticamente todas as pesquisas apontavam o favoritismo de Hillary Clinton. Com propostas agressiva e até odiosas, como a expulsão de imigrantes e a construção de um outro muro para isolar, ainda mais, o México dos Estados Unidos, o candidato Republicano atraiu muitas críticas dentro e fora do território americano.  Desencantados com políticos tradicionais, os americanos confiaram o Governo, nos próximos quatro anos, ao ultraconservador Donald Trump, o que gerou desconfiança e medo entre líderes de diversos países.

Mesmo sabendo dos riscos que Trump representa, efetivamente, o Deputado Federal  Luiz Carlos Hauly faz uma análise menos pessimista do novo governo americano. Ex-presidente do Parlamento das Américas, líder do Bloco Parlamentar Brasil-EUA e ex-presidente e membro da Comissão de Relações Exteriores, Hauly avalia o seguinte:"Apesar do espanto e temor geral, não acredito que irá acontecer nada de muito extraordinário. Explico: Quando o ator ultraconservador Ronald Reagan foi eleito, foi o mesmo espanto de agora, e nada de muito extraordinárioaconteceu".

Para Hauly, as Instituições Americanas são fortes e independentes e os Estados são autônomos. "A mesma poderosa máquina burocrática do governo que enquadrou, no passado, o ultraconservador republicano  Ronald  Reagan, fará o mesmo agora. Trump vai perceber, assim que chegar à Casa Branca, que as promessas fantasiosas só serviram para a campanha, jamais para o Governo. Trump vai aprender que para governar na democracia é preciso bom senso, diálogo e parcerias. Os Estados Unidos e o Mundo precisam de líderes que governem para a Paz, e é isso que espero de Trump, disse Hauly. 

Shopping