Política

Campanha de governadores têm redução enorme no pleito de 2018

Tribunal Superior Eleitoral mostra redução de 72% nos gastos de campanha dos quatro primeiros colocados na disputa pelo governo do estado do Paraná. Juntos eles gastaram 19,04 milhões, bem menos que os 68,56 milhões gastos pelos quatro mais votados em 2014

Os quatro primeiros colocados na corrida ao governo do Paraná gastaram juntos R$ 19,04 milhões, segundo prestação de contas no registro de candidaturas no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). O número é 72% menor que do que o valor gasto pelos quatro primeiros colocados na campanha de 2014, quando somaram R$ 68,56 milhões declarados na prestação de contas à Justiça Eleitoral. 

A queda é resultado de uma soma de fatores como a redução no tempo de campanha, o fim do financiamento privado, o teto de gastos estabelecido (R$ 9,1 milhões para o governo no primeiro turno) e a falta de interesse dos eleitores brasileiros em investir em candidatos. As campanhas foram financiadas, principalmente, com dinheiro público dos fundos partidário e especial. 

Governador eleito do Paraná no primeiro turno com quase 60% dos votos válidos, Ratinho Junior (PSD) foi o que mais gastou para chegar ao Palácio Iguaçu: R$ 7,22 milhões, sendo 37,5% desse montante dinheiro público do "fundão". O deputado, está na 32ª posição do ranking de autofinanciamento. Ele investiu R$ 1.114.400,00 na própria campanha. O deputado estadual licenciado contou ainda com mais de R$ 1,53 milhão desembolsado pelo pai dele, o apresentador Carlos Massa (Ratinho), que aparece como o 11º maior doador no ranking nacional de investidores de campanha (pessoa física). 

A governadora Cida Borghetti (PP), que ficou em segundo lugar (15,54%), também é a segunda que mais investiu na reeleição. As despesas declaradas até agora são de R$ 6,07 milhões, com mais de 99% de recursos públicos encaminhados pelos diretórios nacional e estadual do partido. 

Terceiro colocado, com 13,19% dos votos válidos, João Arruda (MDB) declarou despesas de R$ 5,28 milhões, com 96% de recursos públicos. Com a campanha mais modesta para o governo, Dr. Rosinha (PT) aparece em quarto no gasto, com R$ 230 mil de despesas e também na urna, com 8,6% dos votos. No Estado, o PT priorizou as campanhas para deputado federal. A senadora Gleisi Hoffmann declarou como despesa de campanha de R$ 1 milhão (100% de recursos do fundo eleitoral) e foi a terceira mais votada da bancada do Paraná para a Câmara Federal, com 212 mil votos.

CLIQUE AQUI E LEIA MAIS 

Shopping