Fatos e Notas (Paulo Farina)

Fato e notas

SEM PARTIDO: A Câmara Municipal de Arapongas aprovou por unanimidade o Projeto Escola sem Partido. O objetivo da Lei é uma educação apartidária, sem doutrinação e livre de ideologias políticas e de gênero. Doravante, são deveres do Professor não se aproveitar da audiência cativa dos alunos para promover seus interesses, opiniões, concepções ou preferências sexuais, ideológicas,  morais, políticas ou partidárias. Não favorecer, prejudicar ou constranger os alunos em razão de suas convicções ou da falta delas. Não fazer propaganda política, partidária ou sindical em sala de aula, nem incitar seus alunos a participar de manifestações, invasões ou passeatas. Ao tratar de questões políticas, sócio-culturais e econômicas, apresentar aos alunos, de forma justa, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas. Respeitar o direito das Famílias de promoverem a educação ética, moral e cultural de seus filhos e não permitir que tais direitos sejam violados no interior da Escola. Parabéns!

HIPOCRISIA: A narrativa do golpe é uma excrescência argumentativa difundida pelos militantes de esquerda. Não há qualquer base jurídica que a corrobore. Mesmo no campo político a tese não se sustenta. Fato notório, o diretório nacional do PT não está opondo objeções à reedição das coligações com o PMDB, do Presidente Temer, em diversos Estados. O fato parece não constranger a militância paranóica que continua gritando a plenos pulmões: Golpe! Fora Temer! Seria ignorância? Hipocrisia? Má fé ou tudo junto?

REVOLUÇÃO: Cem anos do golpe socialista: Nada há para comemorar. Apenas lições para aprender. Em nome de uma utopia, tudo é permitido? Totalitarismo, gulags, expurgos, holodomor? Recordemos os milhões de almas ceifadas! As vidas estraçalhadas! As famílias destruídas! Os sonhos arruinados! Os órfãos, as viúvas e os testemunhos inquietantes de Soljenítsin, Kudenra e Kertész...Cem anos de totalitarismo socialista: Venezuela, 2017. Stálin vive. Atual, real e brutal. Fome, hiperinflação, expurgos, prisões, ditadura! Brasil, agora: Em nome da velha utopia, tudo foi permitido? Corrupção, dívida pública, promiscuidade, criminalidade? Destruição da cultura, da moral e das Famílias? A velha mentira sob nova roupagem! Ideologia de gênero, multiculturalismo, feminismo, apologia ao crime, às drogas, à promiscuidade e a sexualização infantil: Eis a pós-revolução gestada pela Escola de Frankfurt! O politicamente correto é o novo totalitarismo. O grande irmão pauta a mídia e a cultura: 1984 é a síntese deste "admirável" mundo novo. Já é hora: Basta à revolução!