Policial

Empresa de Rolândia é alvo da polícia por envolvimento com quadrilha que furta petróleo

No Paraná, a Polícia Civil dá apoio ao cumprimento de um mandado de busca e apreensão em uma empresa situada em Rolândia, no Norte do Estado. Policiais da região estão acompanhando a ação desde as primeiras horas desta terça (05)

A Polícia Civil deflagrou na manhã desta terça-feira (5) a Operação Sete Capitães. Realizada pela Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol) do Rio de Janeiro, por meio da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), o objetivo da operação é cumprir sete mandados de prisão e 11 de busca e apreensão expedidos contra uma organização criminosa acusada de praticar furto de petróleo e derivados, que age no Norte Fluminense.

A ação é realizada nos municípios de Macaé, Quissamã, Carapebus, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, no Rio de Janeiro e no estado do Paraná e conta com apoio do Ministério Público Estadual (por meio do Gaeco), Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), Agência Nacional de Petróleo (ANP), Petrobrás e Transpetro.

As investigações, que tiveram início há cerca de 10 meses, apontaram que os criminosos localizavam os dutos de petróleo bruto e faziam uma derivação clandestina por onde desviavam o produto da subtração.

De acordo com o delegado Julio da Silva Filho, titular da DDSD, a apuração levantou ainda que a organização fazia em média de duas a três retiradas por semana, totalizando cerca de 150 mil litros de petróleo e derivados desviados. As investigações apontam que o petróleo furtado seria enviado em caminhões bitrens, com capacidade para subtrair aproximadamente 50 mil litros, para cidades no Estado do Paraná.

Os presos vão responder pelos crimes de organização criminosa, contra ordem econômica, furto duplamente qualificado e contra o meio ambiente. A prática do furto ilegal de combustível além de ser criminosa representa um risco para o meio ambiente e para as pessoas que residem próximo aos locais.

Em Rolândia, policiais civis estão no barracão de uma empresa na Rua Ivaí, no parque industrial localizado na saída para o distrito de São Martinho. A suspeita é que a empresa realizava o refinamento ilícito do petróleo. A princípio, seria cumprido um mandado de busca e apreensão. Até o momento ninguém foi preso. Nossa equipe está no local para apurar os detalhes.

FONTE: COBRANEWS

POSTAGEM ORIGINAL

A Secretaria de Estado de Polícia Civil (Sepol), por meio da Delegacia de Defesa dos Serviços Delegados (DDSD), realiza na manhã desta terça-feira (05/11), a Operação Sete Capitães para cumprir sete mandados de prisão e 11 de busca e apreensão expedidos contra uma organização criminosa acusada de praticar furto de petróleo e derivados, que age no Norte Fluminense. A ação é realizada nos municípios de Macaé, Quissamã, Carapebus, Rio das Ostras e Casimiro de Abreu, no Rio de Janeiro e no estado do Paraná e conta com apoio do Ministério Público Estadual (GAECO), Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), Agência Nacional de Petróleo (ANP), Petrobrás e Transpetro. 


As investigações, que tiveram início há cerca de 10 meses, apontaram que os criminosos localizavam os dutos de petróleo bruto e faziam uma derivação clandestina por onde desviavam o produto da subtração. 


De acordo com o delegado Julio da Silva Filho, titular da DDSD, a apuração levantou ainda que a organização fazia em média de duas a três retiradas por semana, totalizando cerca de 150 mil litros de petróleo e derivados desviados. As investigações apontam que o petróleo furtado seria enviado em caminhões bitrens, com capacidade para subtrair aproximadamente 50 mil litros, para cidades no Estado do Paraná. 


Os presos vão responder pelos crimes de organização criminosa, contra ordem econômica, furto duplamente qualificado e contra o meio ambiente. A prática do furto ilegal de combustível além de ser criminosa representa um risco para o meio ambiente e para as pessoas que residem próximo aos locais.