Cidades

Avião interceptado pela FAB já havia usado o aeroporto de Paranavaí diversas vezes

Mandado de busca e apreensão executado pela Delegacia de Polícia Federal (PF) de Maringá na última quarta-feira (28) aponta que o avião abandonado no aeroporto de Paranavaí (Noroeste) com buracos de bala na fuselagem já havia utilizado a pista diversas vezes, todas sem registros oficiais. 

A informação foi confirmada ao Portal Bonde, na tarde desta quinta-feira (29), pelo delegado federal Alexander Noronha Dias. "Fizemos o levantamento de documentos e indícios na oficina e no escritório de administração do aeroporto. Está comprovado que a aeronave já havia utilizado a pista de Paranavaí em outras ocasiões, para pousos e decolagens. Estamos investigando para quais fins o avião era utilizado e por que operava nesta rota ilícita", afirma. 

Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil





As investigações da PF também revelam que o proprietário do monomotor abandonado (Neiva EMB-721C, matrícula PT-EXP ) é irmão da dona de uma empresa de Ciudad del Este, cidade paraguaia na fronteira com o Paraná. Em março deste ano, um outro avião, de prefixo paraguaio, foi encontrado, também abandonado, em uma pista ilegal na zona rural de Amaporã, município distante 43 km de Paranavaí. 

Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil



Na ocasião, a aeronave paraguaia estava sem uma asa, que foi encontrada pela Polícia Civil dentro da oficina do aeroporto de Paranavaí. A identidade dos envolvidos não foi revelada para preservar a investigação federal. 

Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil



O Neiva EMB-721C foi interceptado por um caça da Força Aérea Brasil (FAB) na tarde do último sábado (24). Ele sobrevoava Japorã (MS) quando foi flagrado durante operação de policiamento aéreo. Perseguido, o avião foi alvo de tiros, recurso utilizado pela aeronáutica para forçar o pouso de aeronaves suspeitas. O piloto não respeitou as ordens e fugiu pelo espaço aéreo do Paraguai antes de voltar a entrar no Brasil e pousar em Paranavaí. 

Ninguém foi preso até o momento.

 Bonde