Sociedade

“Aqui estudam autistas” informa a placa

Uma iniciativa de pais e diretoria da escola Maria Teixeira é uma novidade em Rolândia que busca conscientizar sobre possíveis crises das crianças com autismo nas escolas. Placas e banners foram afixados na instituição, uma ação simples, mas que reflete um grande ato de respeito e cidadania

Em uma assembleia realizada na última quarta (27/02), na escola municipal Maria Teixeira Georgio, em Rolândia-PR, foram apresentados aos pais e responsáveis a ideia de colocar placas e banners nas entradas e dentro da instituição com o seguinte aviso; “Aqui estudam autistas (...) Se ouvir gritos, choros e barulhos altos RESPEITE, pois estou no meu momento de crise”.

Luiz Fernando Rodrigues e sua esposa, Andressa de Cassia Birriolla, são pais de uma criança autista que estuda na escola e tiveram essa iniciativa inspirados em um movimento que acontece no Nordeste do Brasil, “Em Rolândia é a primeira escola a fazer isso, e acredito que talvez seja a primeira do Paraná”, ressalta Fernando.

Ele explica que muitas pessoas julgam sem saber o que está acontecendo. Uma criança com autismo pode entrar em crise por vários motivos, como barulho, movimentação e outras variações do ambiente e isso pode levá-la a chorar, gritar e até mesmo se auto machucar ou machucar os outros. “As crianças precisam de um cuidado especial, mas muitos que não sabem que elas são autistas acabam achando que é birra (...) Eu tento fazer o possível para ajudar, tanto a escola como a sociedade (...) Lutamos pelos direitos deles e de todos”, alerta.

 

Cada vez mais crianças com autismo estão sendo matriculadas nas escolas em busca de inclusão e a pedagoga, Inês Gomes Hartmann Iba, juntamente com a diretora Janaina Andreza Beneli de pronto aceitaram a sugestão do pai em colocar a sinalização na instituição.

Inês relata que na escola atualmente são atendidas cerca de cinco crianças com autismo e que os avisos certamente podem ajudar, tanto os alunos e professores, como as pessoas que passam pela rua próxima à escola a entenderem que ali tem crianças que precisam de uma atenção especial além do respeito pelas suas diferenças.

A pedagoga destaca que devido ao aumento da busca pela inclusão, desde o ano passado a escola vem realizando ações de conscientização. Além disso os profissionais estão sempre em busca de formação contínua, assim se preparando cada vez mais para os novos desafios.

Por força de lei as escolas devem ter à disposição um professor extra na sala para cada sala com um aluno especial. Inês garante que a escola faz o possível para atender estas as especificações e tem pelo menos um professor extra que faz esse atendimento nas salas.

Ainda a instituição oferece nos períodos opostos, a sala de recursos com uma professora especializada em educação especial (psicopedagoga).

Se quiser ter a mesma iniciativa pode baixar o cartaz e mandar imprimir. Ou se preferir entre em contato direto com a gráfica Visiograf (43) 3015-3774, eles possuem a arte original.


PARA BAIXAR CLIQUE NA  ARTE OU LIGUE NA GRÁFICA Visiograf (43) 3015-3774

Shopping