Vetville
Conheça os sintomas e tratamento da doença

Assim como os humanos, os animais também podem sofrer com os sintomas da gripe. E se não for tratada a tempo, o resfriado pode até causar doenças infecciosas graves, como pneumonia, por exemplo.

A rinotraqueite é causada pela Bordetella bronchiseptica, que pode ser agravada pelo vírus da influenza ou pelo adenovírus, ou mesmo outras bactérias.

 

Os cuidados com os cães devem ser redobrados nas estações outono e inverno onde há baixas temperaturas e clima seco, uma combinação que pode causar uma série de doenças respiratórias no cachorro.

 

De forma geral, é uma doença auto limitante, isto é, em cães saudáveis pode terminar logo sem nenhuma intervenção. Mas em muitos casos necessita de maiores cuidados e medicação, podendo inclusive, agravar-se, culminando em uma pneumonia por infecções secundárias e oportunistas.

 

A gripe é contagiosa, mas a transmissão só ocorre entre os animais da mesma espécie. A gripe do cão não passa para o gato ou vice-versa e muito menos é constituída como uma zoonose, ou seja, não tem transmissão para o homem.

 

Os sintomas da gripe são parecidos em cães e gatos. Espirro, tosse e secreção nos olhos e nariz. A tosse pode ser prolongada e ser confundida com ânsia de vômito ou corpo estranho na garganta. Em alguns casos, pode sim até levar ao vômito. O tratamento tem que ser feito logo para evitar que a doença se agrave.

 

São doenças que deixam o organismo fragilizado, a resistência orgânica cai bastante e aí pode complicar com um quadro de infecção respiratória secundária e talvez até chegar ao óbito.

 

A melhor forma de proteger o pet é com a vacinação. É altamente contagiosa entre animais não vacinados e por essa razão se propaga fácil em ambientes populosos, daí o nome de Tosse dos Canis. Existe tratamento e, principalmente, prevenção. A prevenção se dá através de vacinação injetável ou nasal, e de cuidados gerais no manejo, como locais quentes no inverno e evitar a superpopulação sem vacinação adequada.

 

Evite que o seu pet sofra nesse inverno. Leve-o para uma das duas unidades da Clínica Vet Ville para tomar a vacina contra a gripe.

 

Fonte: g1.globo.com

 

Cachorro com medo de fogos de artifício

O medo de fogos de artifício é uma fobia muito comum nos cães. O Reveillon, as festas juninas e a Copa do Mundo de futebol são épocas temidas por donos e cães. É normal que eles se assustem com o barulho alto e repentino e o clarão que se forma no céu.

Mesmo o cão mais confiante e equilibrado pode se assustar e ficar com medo de sons que não são familiares para ele. A boa notícia é que tem algumas coisas que você pode fazer para ajudar o seu cão a passar com mais tranquilidade por esse período de festas – e fogos.

Pratique com seu cão

Se você tiver algum tempinho antes dessa época de fogos, dessensibilize o seu cachorro. Ou seja, faça-o se acostumar com o som dos fogos de artifício. Siga esses passos:

1. Associe o som dos fogos com algo que seu cão goste, por exemplo: petisco preferido, brinquedo, cafuné, escovação etc.

2. Comece a aumentar o volume do vídeo ao longo dos dias e continue a associar o som dos fogos com algo que seu cachorro goste, para que ele associe: barulho de fogos = coisa boa.

3. Se em algum momento o seu cachorro demonstrar algum sinal de medo, abaixe o volume até o ponto em que ele se sinta confortável.

4. Repita o quanto for necessário todos os dias até seu cachorro conseguir ouvir o som dos fogos bem alto sem ficar com medo.

Se você não teve tempo de praticar antes

Se você não teve tempo para preparar seu cão, ou se a dessensibilização não eliminou o medo dele completamente, existem algumas coisas que você pode fazer para amenizar o medo do seu cão dos fogos. Essas dicas devem ser úteis para cães que tenham um nível médio/moderado de medo.

1. Durante as épocas de maior incidência de fogos de artifício, NÃO MUDE SEU COMPORTAMENTO. A maioria das pessoas tendem a mimar/acolher seus cães quando eles demonstram que estão com medo de fogos. As pessoas fazem mais carinho que o normal, abraçam, falam com os cães com voz doce. Em vez de ajudar a acabar com o medo, esse comportamento do dono reforça o medo no cão. Ele associa: medo = carinho.

2. Tente você mesmo não reagir aos fogos de artifício. Se você demonstra prontidão logo antes dos fogos, por conta do medo do seu cão, isso só irá piorar o que ele sente. Você acabará deixando-o ansioso. Sua linguagem corporal dizem para seu cão se ele precisa ficar com medo ou não.

3. Faça o possível para camuflar o som dos fogos. Ligue o rádio ou a TV, feche as janelas, ligue o ventilador e/ou o ar-condicionado,

4. Não force seu cão a nada. Se ele quiser se esconder embaixo da cama, deixe. Não o obrigue a fazer nada que ele não queira, pois isso pode acarretar em um aumento do medo e o cão pode se tornar um cão agressivo se sair de sua zona de conforto.

Para casos severos

Se seu cão fica aterrorizado com fogos de artifício, pode ser que nenhuma dica acima funcione para amenizar o medo dele. Se você acha que seu cão é um caso desses, converse com o veterinário, pois pode ser o caso de administrar uma medicação contra ansiedade ou algum sedativo que ajude seu cão a ficar mais calmo durante os fogos.

Fonte: http://tudosobrecachorros.com.br

Shopping