Luiz Hauly Filho
Luiz Hauly Filho “O que me inspira é a possibilidade de fazer o novo, de novo” – Washington Olivetto

Reforma Tributária

Finalmente, depois de 16 meses de um amplo debate nacional liderado pelo Deputado Federal Luiz Carlos Hauly tramita, há duas semanas, na Câmara Federal o Projeto de Reforma Tributária. Além de Hauly como Relator, a Comissão Especial que analisa a proposta de Emenda à Constituição (PEC) 293/04 tem como presidente o Deputado Hildo Rocha, do Maranhão. Pelos cálculos de Hauly, será necessário o prazo de sete semanas para colocar o projeto em votação. O Relator disse ser importante a aprovação da Reforma Tributária antes das eleições, pois ele entende que ela será um instrumento para alavancar a retomada do desenvolvimento.

Presidenciáveis apoiam

Conforme analistas, a greve dos caminhoneiros fez com que despertasse no Brasil um olhar crítico sobre a abusiva carga tributária que compromete a capacidade de competitividade de todos os setores da economia. E consequentemente, reforçou a necessidade da Reforma Tributária. Os candidatos à presidência entenderam o recado das ruas e passaram a apoiar a Reforma Tributária. Portanto, há uma conjugação de fatores positivos para que essa proposta seja aprovada, mesmo num ano eleitoral.

Força do Paraná

Uma boa notícia: O Paraná vem ganhando espaço na renda industrial do País. Segundo a Pesquisa Industrial Anual (PIA) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a indústria de transformação do Estado é a terceira maior do Brasil, ficando atrás apenas de São Paulo e Minas Gerais. Os dados, compilados pelo Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico Social (Ipardes), apontam que o Paraná passou da quarta à terceira posição no ranking nacional em um ano, deixando para trás o Rio Grande do Sul.

Valor de transformação

As informações têm como base o Valor da Transformação Industrial (VTI), que foi de R$ 78,9 bilhões em 2016 (último dado disponível). O Estado foi responsável por 8,13% VTI do Brasil contra 7,90% do ano anterior, se posicionando à frente do Rio Grande do Sul (8,10%) e Rio De Janeiro (7,02%). Segundo o levantamento, a diferença entre o VTI do terceiro e do quarto colocado no ranking é de R$ 248 milhões. Já a diferença entre o valor do Paraná e do Rio de Janeiro é de R$ 10,8 bilhões.

Setores de destaque

O diretor-presidente do Ipardes, Julio Suzuki Júnior, explica que, embora seja amplamente conhecido pela produção agrícola, o Paraná ficou à frente de estados importantes no âmbito da indústria de transformação. “Isso demonstra a diversificação econômica do Estado, que, sem dúvida, amplia as possibilidades de desenvolvimento”, completou. O Paraná abriga a segunda maior indústria de alimentos do país. Em 2016, o VTI do setor atingiu R$ 24 bilhões, o que correspondeu a 11,6% do total nacional, abaixo apenas da participação de São Paulo (33,2%).

Setores de destaque II

A indústria automotiva paranaense respondeu por 14,4% da renda nacional do setor, também na segunda colocação do país. Já no caso da indústria madeireira, a liderança coube, mais uma vez, ao Paraná, com um VTI de R$ 3,2 bilhões, equivalente a 30,6% do valor agregado pelo segmento em âmbito nacional. O Estado também ocupa posição de destaque nos setores de edição e impressão, material elétrico e móveis, com o terceiro lugar no ranking nacional.

Shopping